segunda-feira, 26 de novembro de 2007

O SILÊNCIO DO MEU OLHAR




Quisera eu que Déborah pudesse andar sozinha, corresse pela calçada, teimando em pular do sofá para o chão igual a Barbarah, sua irmãzinha caçula, e mesmo que ela chegasse em casa com os joelhos feridos por ter se machucado durante o recreio, eu seria, com certeza, como ninguém jamais foi, um pouco mais feliz.


Mas, mesmo ainda não sendo possível este sonho eu sou feliz, porque aprendi a encontrar a felicidade nas coisas mais simples que me cercam. Percebi que sempre há um brilho no seu olhar ao me ver chegar. Vi no seu sorriso de felicidade que eu sou muito importante na sua vida, e ela, a cada dia, começa a cobrar mais um pouco deste beija-flor.


No entanto, não posso negar, que apesar da explosão de felicidade que há no meu rosto, não exista uma lágrima de silêncio no meu olhar, pois ,vez por outra, ainda chego a questionar, não mais a Deus, mas a mim mesmo:” O que eu poderia ter feito e não fiz? O que eu fiz e não era para ser feito ? O que ainda posso fazer e não faço ? Estou eu acomodado ?” Ninguém me responde. Os porquês se multiplicam e caem aos meus pés procurando respostas que nem eu mesmo sei onde estão.
Assim silencio-me no meu próprio silêncio, escondendo essas lágrimas, não de mim, mesmo porque não posso, mas de todos que precisam do meu sorriso, inclusive minha pequena flor.


Quisera eu que Déborah falasse, quem sabe ao completar dez anos, ou quinze, ou até mesmo se demorasse mais vinte anos para ouvir sua voz, eu iria ser um pouco mais feliz, e mesmo que ela ficasse tagarelando, igual a sua irmãzinha na hora dos meus programas favoritos ( que já nem sei quais são ) eu não iria pedir que se calasse nem um pouquinho. Talvez seja por isso que adoro a tagarelice da Barbarah, mesmo me impedindo de ouvir algo de interessante na televisão.E ali, retalhando o nada com olhar, eu sorrio em silêncio...


Retalhos da Cronica" O silêncio do meu Olhar. Do Livro : O Diário de Déborah"

Um comentário:

Ana disse...

Deus sempre se revela por meio de seus anjos...Acredito que o mundo ainda tem luz devido à presença de anjos que estão em nosso meio, no silêncio, na simplicidade e na ternura. Sem duvidas Deborah é um desses anjos, que na sua singeleza transmite uma paz tão cativante que a qualquer pessoa que se aproxime não pode partir sem ter sentido um pouquinho da presença e da existência do amor. Esse anjo tão especial não poderia de forma alguma estar desprovido de cuidados, por isso Deus na sua sabedoria, o confiou esse anjo especial a um pai anjo que se desdobra em amor e atenção a seu anjinho Deborah!
"O que ainda posso e não faço?" Acho que não existe resposta para essa pergunta que você se faz, pois todo o possível a ser feito é amar e proteger infinitamente o anjinho, e isso você já o faz com seu coração. Que Deus proteja e abençoe sempre a você e sua família.